Search
Close this search box.

Planalto: marcada a data da reconstituição do caso Rafael Winques

Diego Camargo

Diego Camargo

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

A Polícia Civil e o Instituto-Geral de Perícias do RS definiram a data para a reconstituição do caso Rafael Winques em Planalto. Será na próxima quinta-feira (18). A mãe participará da reprodução, que não possui tempo determinado. Ainda não há definição se o irmão do menino, um adolescente de 17 anos, participará da perícia.

A reprodução dos fatos permitirá entender se Alexandra teria condições de esconder sozinha o cadáver do menino. Um boneco, com mesmo peso e tamanho de Rafael, será usado no dia. Uma das possibilidades investigadas pela polícia é a participação de outras pessoas no crime. Durante a reconstituição, o acesso à casa onde vivia a família e a residência onde foi achado o corpo serão isolados, com auxílio da Brigada Militar.

Fotos Diego Camargo/Portal Tchê

Confira a nota divulgada sobre a perícia pela Polícia Civil e IGP: 

Na próxima quinta-feira (18), a partir das 18h, a Polícia Civil e o Instituto-Geral de Perícias do RS realizarão a Reprodução Simulada dos Fatos (reconstituição) do caso Rafael Mateus Winques, na cidade de Planalto e será realizada pela Perita Criminal Bárbara Cavedon, do Departamento de Criminalística do IGP.

A Reprodução Simulada dos Fatos, conhecida popularmente como reconstituição, foi solicitada pela Autoridade Policial que preside o Inquérito Policial, Delegado Ercílio Carletti, sendo uma das mais complexas perícias criminais realizadas pelo IGP. O objetivo é verificar a viabilidade de os fatos terem ocorrido da (s) forma (s) como foram narradas pelo (s) envolvido (s).

Dependendo da quantidade e complexidade das versões apresentadas, dos elementos a serem analisados e dos quesitos a serem respondidos, em média o Laudo é remetido ao solicitante cerca de 30 dias depois do trabalho de campo.

Segundo a Chefe de Polícia, Delegada Nadine Tagliari Farias Anflor, a Reprodução Simulada dos Fatos será fundamental para esclarecer as circunstâncias e dinâmica do crime, além da participação das pessoas envolvidas.

Para a Diretora-Geral do IGP, Heloisa Kuser, a realização da RSF demonstra a importância do IGP em apresentar as provas periciais e o empenho da instituição para a revelação dos fatos.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]