Search
Close this search box.

Estupro de seis crianças é revelado após palestra em escola de SC

Diego Camargo

Diego Camargo

Uma palestra na escola sobre violência sexual ajudou a revelar uma série de estupros cometidos por um homem em Pouso Redondo, no Alto Vale do Itajaí. Após assistir à apresentação, uma aluna revelou aos professores os abusos cometidos contra ela. A polícia abriu inquérito e descobriu outras cinco crianças vítimas do mesmo agressor.

Ele teve a prisão preventiva decretada e está no Presídio Regional de Rio do Sul desde a quinta-feira (1º). O homem vai responder pelo crime de estupro de vulnerável. Se condenado, pode receber pena superior a 20 anos.

O caso está aos cuidados do delegado Daniel Zucon. Como se trata de violência sexual contra menores, ele não deu detalhes sobre a investigação para proteger a identidade das vítimas. Entretanto, conta que são meninos e meninas com idades de até 12 anos. Todos tinham em comum o contato com o homem apontado como agressor.

Zucon explica que a investigação começou a partir do relato da aluna feito na escola. A partir dali, durante a apuração, outras crianças do mesmo círculo de convívio relataram histórias de abuso sexual cometido pela mesma pessoa. Alguns episódios teriam ocorrido no ano passado e outros em 2021.

Para o delegado, a abordagem do tema na escola e a confiança nos profissionais da educação podem ter encorajado a menina a revelar o caso e pôr fim às agressões.

O papel da escola

Coordenadora das delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente em Santa Catarina, Patrícia Zimmermann ressalta que a escola é um importante espaço de interação, onde se estabelecem vínculos de confiança. Com essa relação fortalecida e entendimento sobre o que é violência sexual, é possível proteger os alunos e interromper ciclos de abuso, aponta a delegada.

Ela revela que no início da pandemia percebeu uma redução das notificações de crimes do gênero e a polícia se questionava se a queda era real ou fruto da falta de acesso a mecanismos para denunciar. Patrícia diz que não há estatísticas que possam confirmar o que houve, mas a percepção é de que os casos nunca cessaram.

— Debater esses assuntos na rede escolar é uma maneira de você interagir com as crianças, esclarecê-las a respeito do que é o crime sexual, com uma linguagem técnica apropriada, sempre. É nessa aproximação que muitos casos de violação de direitos, principalmente sexual, são descobertos, pois a crianças ganham confiança e pedem ajuda — reitera a delegada.

Mudança repentina de comportamento, como uma criança comunicativa que se repete para de falar, crianças tranquilas que começam a apresentar quadros agressivos, outras que deixam de brincar ou mudam de hábitos alimentares. Essas são características percebidas com frequência em casos de vítimas de violência sexual infantil e que devem acender o alerta.

Fonte: NSCTotal


Mãe flagra filho de 13 anos estuprando a própria irmã de 6

Um adolescente de 13 anos foi apreendido acusado de estuprar a própria irmã, de 6 anos. De acordo com informações, a mãe dos menores percebeu o que estava acontecendo e acionou a Polícia Militar.

Ela relatou que os dois estavam em casa, no bairro Jardim das Violetas no município de Sinop/MT, na tarde de segunda-feira (28), quando o adolescente entrou no quarto da sua irmã.

A mulher viu pela fresta que a menina estava vestindo a roupa e foi ver o que estava acontecendo, mas a porta estava trancada.

A mãe bateu e o menor respondeu assustado pedindo para esperar.

Quando entrou no quarto, a mãe perguntou para a filha se o irmão teria mexido em suas partes íntimas e ela respondeu que sim.

Os policiais encaminharam o adolescente para a delegacia da cidade e foi apreendido por estupro de vulnerável.

O Conselho Tutelar foi acionado e acompanha o caso, que é investigado pela Polícia Civil.

Fonte: Repórter MT


SC: homem é suspeito de estuprar criança de 4 anos nesta sexta-feira

Um homem é suspeito de estuprar uma criança de apenas 4 anos, em Capinzal/SC. O crime teria ocorrido no final da tarde desta sexta-feira, dia 2/7, em um bairro do município. A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o caso.

De acordo com a delegada Fernanda Gehlen da Silva, a vítima, a mãe e o suspeito foram conduzidos à Central Regional de Polícia de Joaçaba pela Polícia Militar. A ocorrência foi acompanhada pelo Conselho Tutelar.

“A criança foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para a realização do exame pericial e diante da inexistência de vestígios materiais e da necessidade da colheita do depoimento especial, foi instaurado o Inquérito Policial”, informou a delegada.

Também foram tomados os depoimentos das demais partes envolvidas nesta ocorrência. A menina está recebendo acompanhamento psicológico.

“O inquérito policial terá prosseguimento com as demais diligências que se fizeram necessárias e permanecerá no aguardo do relatório psicológico para a sua conclusão”, finalizou a delegada.

Informações sobre a proximidade do suspeito e da vítima não foram confirmadas.

Com informações da Rádio Capinzal