Search
Close this search box.

Grupo de empresários é contra o asfaltamento da Transbrasiliana

Diego Camargo

Diego Camargo

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Um grupo de empresários, de Getúlio Vargas e de outros municípios, situados nas margens da ERS-135, criou um movimento contra o asfaltamento da rodovia federal BR-153, conhecida como Transbrasiliana.

A rodovia que liga o Rio Grande do Sul ao Pará, possui mais de 4.200 quilômetros e o trecho de 68,4 km, entre Passo Fundo e Erechim, é o único não asfaltado em todo seu percurso. A empresa que venceu a licitação para elaborar o projeto técnico de pavimentação da BR já iniciou os trabalhos. A conclusão dessa obra é uma demanda histórica da região para o escoamento da produção agrícola e para a infraestrutura logística.


Através da internet, um manifesto destes empresários está sendo espalhado. No manifesto, consta a preocupação com os negócios estabelecidos nas margens da atual rodovia (ERS-135) e faz críticas à iniciativa de pavimentação.

Trata-se de uma iniciativa independente de um grupo de empresários, pois contatas as entidades empresariais não assumiram a autoria do documento. O prefeito de Getúlio Vargas, Maurício Soligo, disse que entende a preocupação dos empresários, mas que a pavimentação da transbrasiliana precisa ser feita para o bem de todos.

Morador desse trecho, o agricultor Antônio Rodrigues, lamentou a iniciativa contra o progresso. Com mais de 60 anos de idade, ele disse que sofre desde criança no pó e na lama dessa estrada. Não entende como pode ocorrer um manifesto contra o asfaltamento de uma estrada.

Com informações da Rádio Planalto[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]