Search
Close this search box.

Estelionatários usam nome e foto de policial para aplicar golpe no WhatsApp

Diego Camargo

Diego Camargo

[vc_row][vc_column][vc_column_text css=”.vc_custom_1562669884538{margin-left: 15px !important;}”]Desde o mês passado, o policial militar Fábio Roque Dimer Kuntz vem recebendo várias mensagens através de sua conta pessoal no Facebook de pessoas que foram enganadas por criminosos que estão usando o nome e fotos do soldado em um perfil de WhatsApp.

Os criminosos usam fotos e nome do policial, entram em contato através do aplicativo com pessoas que anunciam produtos na internet, trocam informações com as vítimas, e negociam a compra e forma de pagamento via depósito por envelope no caixa eletrônico. Porém, fazem depósito de um envelope vazio.


Para retirar o produto comprado, os estelionatários utilizam motoristas de aplicativos que em função de existir um comprovante de depósito acabam entregando o produto negociado também sem saberem se tratar de golpe. Já as vítimas, somente após prazo de validação do envelope se dão conta de que foram vítimas de estelionato.

Os golpes aconteceram nas cidade de Candelária, Canoas, Novo Hamburgo e Porto Alegre. Somente em Candelária uma vítima perdeu R$ 5.500. O número do celular usado pelos golpistas tem final 6255.

O policial militar ao saber da primeira situação de imediato procurou a delegacia de Polícia Civil de Santa Cruz e efetuou um registro informando a situação. Além disso, Fábio Dimmer publicou uma nota na sua conta no Facebook para alertar as pessoas que poderiam pesquisar sobre sua origem. Conforme o policial, a situação é preocupante. “É inadmissível ter que passar por uma situação dessas. Peço que as pessoas confirmem realmente a identidade de quem está fazendo negócio. Há muitos golpes envolvendo perfis, dados e fotos de policiais“, salienta.

Fonte: Portal Arauto[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]