Search
Close this search box.

Desentendimento em fetiche a quatro termina com briga, agressão e armas em motel de SC

Diego Camargo

Diego Camargo

O que era para ser um fetiche entre dois homens e duas mulheres terminou em confusão em um motel que fica na Avenida Osvaldo Reis, na divisa entre Balneário Camboriú e Itajaí, no Litoral Norte de Santa Catarina.

Segundo a GM (Guarda Municipal) de Itajaí, as mulheres disseram aos agentes que Pedro e Ana haviam conhecido José e Maria pela “internet” e combinado um encontro no motel. No entanto, Pedro quis “coisas que não foram combinadas”, o que gerou toda a confusão.

Quando a Guarda Municipal chegou no motel, após a informação de que havia pessoas armadas no estabelecimento, os agentes encontraram José segurando uma pistola. Ele disse que a arma era de Pedro, que ainda estava no quarto com outro revólver.

Ao entrar no quarto pela garagem, conforme a guarda, Pedro recebeu ordens dos agentes e se rendeu. Porém, José aproveitou para agredir o “amigo” com um soco na cabeça. A pancada foi tanta que ele chegou a cair no chão com sangramento no rosto.

O Corpo de Bombeiros Militar foi chamado e levou José ao Hospital Marieta Konder Bornhausen para atendimento médico. Os demais foram conduzidos à CPP (Central de Plantão Policial) para se explicarem ao delegado de plantão sobre a briga no motel. A pistola e 10 munições foram apreendidas. Isso aconteceu no Dia dos Namorados, 12 de junho.

Fonte: ND+


Jovem grávida é assassinada a tiros em Lages; ex-namorado é o suspeito

 

Uma jovem de 20 anos foi morta dentro do próprio apartamento na tarde desta quarta-feira (16) em Lages/SC. Segundo a Polícia Militar (PM), que considera o crime como um feminicídio, por volta das 13h o ex-namorado da vítima teria entrado em seu apartamento e disparado três tiros.

A polícia informou que Ana Julia dos Santos Floriano estava grávida de cerca de dois meses e morreu no local. O suspeito pelo crime, de 34 anos, acertou a cabeça da vítima e está foragido.

A PM ainda não sabe se o suspeito era o pai da criança. O caso aconteceu no Centro da cidade, em um edifício na praça da Catedral.

A motivação do crime seria porque o autor não aceitava o fim do relacionamento.

De acordo com a Polícia Militar de Lages, que recebeu relatos de uma testemunha, Ana Julia e o autor haviam combinado de se encontrar no apartamento da jovem por volta das 12h30. Antes disso, os dois se encontraram no hall de entrada do edifício da vítima.

Logo, subiram até o apartamento de Ana Julia, onde teriam permanecido no quarto. Momentos depois, foi possível ouvir um barulho forte no corredor e na fechadura, mas a testemunha não chegou a desconfiar de nada.

Agressões e assassinato

Em seguida, portando uma arma de fogo, cujo calibre ainda não foi identificado, o ex-namorado invadiu o apartamento, e uma nova discussão entre os dois começou.

O autor agrediu Ana Julia, que insistia para que ele parasse com as agressões. Ela ainda tentou se defender utilizando um fio que estava ao seu alcance.

Houve um momento de silêncio, quando a vítima teria pedido ao ex-namorado que fosse embora. Nesse instante, o autor do crime garantiu que não sairia dali, e que iria arrancar os seios da vítima. Além disso, também afirmava que iria matá-la. Ele chegou a mencionar que sabia que sairia preso do local pelo crime.

Ele chegou a sair do prédio, e tanto a vítima quanto a testemunha acharam que ele já havia ido embora. Mas ele retornou e efetuou pelo menos dois disparos que atingiram o rosto de Ana Julia. A testemunha se jogou no chão para se proteger. Dali, ela pôde ver que a jovem baleada já estava sangrando muito e o autor não estava mais no local.

Após isso, a testemunha correu em direção à rua para pedir ajuda e se deparou com uma viatura da PM (Polícia Militar).

Segundo a polícia, Ana Julia estava grávida de dois meses e a família dela já havia se posicionado diversas vezes contra o relacionamento.

O autor do crime fugiu e continua desaparecido. Ele já tem outras passagens policiais por violência doméstica, oriundas de um relacionamento anterior, além de ocorrências por furto.

Esse é o segundo feminicídio registrado em Lages em junho, conforme a PM.

Fonte: NSC Total e ND+