Search
Close this search box.

Assombroso: idosa é encontrada morta com tesoura cravada no pescoço; Investigação surpreende Chapecó

Diego Camargo

Diego Camargo

Uma idosa – identificada como Orentina da Silva, de 89 anos – foi encontrada morta na residência em que morava em Chapecó/SC. A vítima foi encontrada por familiares e apresentava diversas perfurações no corpo, além de uma tesoura cravada no pescoço.

Conforme informações da Polícia Militar (PM), os familiares que encontraram a vítima são a filha, de 52 anos, e o neto, de 27 anos. Eles relataram aos policiais que foram até a residência da idosa com o objetivo de buscar uma receita de um medicamento.

A PM informou que durante buscas no interior da casa, foi constatado que o local estava revirado. Em um dos cômodos, os policiais localizaram a senhora caída, já sem vida. O fato aconteceu na rua Minas Gerais, no bairro Passo dos Fortes, por volta das 7h40 da manhã de ontem, sexta-feira (16).

Segundo a Polícia Civil, diligências foram feitas durante toda a manhã e início da tarde referentes ao crime, para elucidar o fato. Familiares da vítima foram ouvidos na Central de Plantão Policial (CPP) no decorrer da manhã.

A imagem de uma câmera de videomonitoramento, que marca o horário 00h47 de sexta-feira (16), mostra o momento em que duas pessoas saem da casa da idosa, de 89 anos, que foi encontrada morta.

REVIRAVOLTA

O delegado da Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil de Chapecó, Vagner Papini confirmou que a filha e o neto de Orentina Da Silva Paye, de 89 anos, que foi morta com uma tesourada no pescoço são os principais suspeitos do homicídio.

“Como ninguém entrou na residência, da 00h47, horário que filha e neto da vítima saíram do local e às 7h30, horário que eles retornaram a casa, isso presume que o crime tenha sido praticado pelo neto e filha da vítima. Eles estão na Central de Plantão Policial (CPP), serão autuados em flagrante delito”, disse Papini.

Conforme Papini, a vítima foi atingida por um golpe fatal na região do pescoço. Antes disso, sofreu vários ferimentos no peito e na região do abdômen. Ferimentos superficiais, feitos com tesoura.

A casa onde a idosa foi encontrada estava toda revirada, mas nenhum objeto foi furtado na residência. Para Vagner Papini, os suspeitos agiram assim para simular um crime de latrocínio. O delegado ainda destacou uma situação do caso muito importante. Uma testemunha flagrou a filha da vítima em uma conversa íntima com ‘Deus’. Nela, a suspeita se pergunta o motivo de cometer o assassinato: “Porque eu fui matar aquela ‘véia’? Podia estar em casa nesse momento”, teria dito a filha da idosa, principal suspeita do assassinato.

Fonte: ClicRDC │ Foto: Diego Antunes

Orentina Da Silva Paye