Mulher entra na Justiça após ser cobrada por atrasar pagamento de piscina e acaba condenada

CONFRARIA 70X150
MARIA DO VARAL TOP
STUDIO C E EREHOST 01
banner eros 2022 1
brazaca 220 4
COLINA VERDE TOPO
REAS SOLAR 70X150

Uma moradora do Vale do Itajaí foi condenada ao pagamento de multa depois de ter entrado na Justiça contra uma empresa que vende piscinas. Segundo a denúncia, ela pedia indenização por dano moral à empresa após ter sido cobrada por uma dívida atrasada, referente à compra da piscina, em 2019.

A mulher alegou ter sofrido situação vexatória ao ser cobrada na presença do chefe e do ex-marido. Na época, ela já havia se separado do marido e, como a piscina ficou com ela, precisou fazer a compra de produtos e acabou atrasando os boletos.

Sem comprovar que a cobrança foi exagerada ou que a empresa credora comunicou a dívida ao chefe, a mulher teve a indenização negada e ainda foi multada por litigância de má fé em R$ 2 mil, que equivale a 10% do valor da causa, com a correção monetária.

Ela recorreu ao Tribunal de Justiça e disse que sofreu abalo moral com a exposição de sua dívida perante terceiros pela ré. Além disso, sofreu “situações constrangedoras perante seu ‘chefe’ e seu ex-marido, uma vez que sempre foi pessoa honesta, trabalhadora, cumpridora dos seus deveres como cidadã, sempre agindo dentro dos ditames da lei”.

Em depoimento, o chefe da mulher negou que tenha sido comunicado pela empresa.

Fonte: Oeste Mais

    Leave Your Comment

    Your email address will not be published.*

    um × quatro =